Comentários encerrados

segunda-feira, 25 outubro, 2010

Por conta da minha mudança para a Alemanha, não consigo mais administrar como deveria este blog. Por isso e para não gerar uma expectativa de demanda que não posso atender, estou encerrando os comentários do blog.

Os textos continuarão à disposição de todos, as dicas dadas em comentários que outrora foram respondidos e o e-mail de contato para a solicitação das cartilhas também.

Essa decisão foi tomada depois de muita reflexão e avaliação. O blog conta com mais de 700 visitas diárias, acessando os textos mais diversos aqui publicados sobre Terceiro Setor e Responsabilidade Social. Orgulho-me do material que produzi aqui e ver esse retorno me satisfaz tanto quanto profissional, quanto pessoa que gostaria de fazer alguma diferença na sociedade. Obrigada.

A decisão é definitiva para os comentários, porém poderei retornar com algumas textos esporádicos e algumas notícias que ache pertinentes para o público do blog.

As cartilhas continuarão sendo distribuídas. Contudo, única e exclusivamente pelo e-mail cartilhas.evelyneleandro@gmail.com. Esse e-mail é acessado uma vez por semana. Se por acaso o seu e-mail ainda não foi respondido, aguarde, pois irá.

Agradeço a compreensão de todos.

Evelyne Leandro

Anúncios

Oi Novos Brasis 2010

quinta-feira, 24 junho, 2010

Uma nova etapa e um desafio ainda maior, do tamanho deste país: contribuir para transformar a realidade de milhares de pessoas em centenas de comunidades. Da grande cidade ao pequeno município da última fronteira. Seu projeto pode fazer toda a diferença, inédito ou em novo estágio, buscamos ideias criativas, com a marca da singularidade e a intenção solidária e cidadã.

Oi Novos Brasis 2010.

Inscreva seu projeto ainda hoje. Juntos, vamos demarcar novas fronteiras, no espaço de cidadania. Inscrições até 26 de julho.

Os projetos deverão ser inscritos exclusivamente pelo site http://www.oifuturo.org.br/oinovosbrasis2010.

Para qualquer outro esclarecimento, entre em contato conosco através do e-mail: projetonovosbrasis@oi.com.br Interaja com o Oi Novos Brasis em nossas redes:

Orkut – http://bit.ly/brasisorkut

Twitter – http://bitly/brasistwitter

Facebook- http://bit.ly/brasisfacebook

Youtube – http://bit.ly/brasisyoutube

Um abraço, Oi Novos Brasis.


Atenção!

quinta-feira, 13 maio, 2010

Existem dois depósitos não identificados em minha conta, referentes à aquisição das Cartilhas. Para que eu possa enviar as cartilhas para os pagadores, necessito confirmação do pagamento por parte do remetente.

Por favor, quem realizou os seguintes depósitos:

Dia 28/04, no valor de R$ 44,00 (adquirindo a Cartilha 03) e

Dia 06/05, no valor de R$ 75,00 (adquirindo as Cartilhas 02 e 03),

Solicito que entre em contato comigo, identificando-se, por e-mail para que eu possa enviar os arquivos e cumprir o combinado.

Agradeço a atenção.

Evelyne Leandro


Procuram-se associações, cooperativas ou empresas sociais do norte e nordeste do Brasil

domingo, 29 novembro, 2009

Que trabalhem com os seguintes produtos:

  • Biojóias
  • Roupas e acessórios de algodão orgânico e colorido
  • Bolsas de lona e outros materiais reciclados
  • Artigos de decoração
  • Aromatizadores de ambiente (incensos, velas…)
  • Cosméticos naturais: hidratantes, sais de banho, sabonetes

E que atendam os seguintes requisitos:

  • Legalmente constituídas
  • Trabalhem com desenvolvimento local sustentável e/ou agricultura familiar
  • Tenham processo de produção artesanal
  • Com produtos aceitos no mercado nacional e/ou internacional
  • Que tenham linhas de produtos
  • E boa capacidade produtiva

O contato visa identificar potenciais fornecedores para exportação de produtos para a Europa.

As organizações interessadas que atendam esses requisitos devem entrar em contato no e-mail evelyneleandro@yahoo.com.br até o dia 19 de dezembro e enviar as seguintes informações:

  • Dados da organização
  • Dados de contato comercial (com e-mail)
  • Lista de produtos
  • Apresentação visual dos produtos (fotos, catálogos, blog e/ou site)
  • Tabela de preços para revenda
  • Descrição simples da cadeia produtiva, demonstrando a relação com o desenvolvimento sustentável e/ou agricultura familiar.

Eu precisava publicar…

quinta-feira, 29 outubro, 2009

afroreggae_carta

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: http://marcelotas.blog.uol.com.br/


O custo do comportamento consciente

quinta-feira, 24 setembro, 2009

Em alguns lugares do mundo, inclusive na Europa, os cidadãos são compelidos a agir de forma consciente quando o assunto é sustentabilidade. Mas, de onde vem essa consciência? Como entidades governamentais, sociais e empresariais estimulam que a sociedade aja em prol da sustentabilidade?

Essa educação vem, principalmente, de uma palavra: custo. Uma perda financeira serve para alertar o cidadão que ele não está agindo de forma consciente e deve repensar seus hábitos. Do custo, surge a reflexão, a pesquisa, a informação. Assim, criam-se consumidores que conhecem as origens, formas de produção, uso e descarte do bem que deseja adquirir.

Abaixo, alguns exemplos de ações adotadas por países como a Alemanha.

A educação para a ordem:

Os carrinhos de supermercado largados no meio do estacionamento atrapalhando manobras e pedestres são um pesadelo distante na Alemanha. Para usar um carrinho, deposita-se € 1,00 num dispositivo e o carrinho está livre para utilização. Para ter o dinheiro de volta, é preciso devolver o carrinho para o mesmo lugar.

Redução da poluição nos centros das cidades:

Precisa ir ao centro? Vá de transporte público. Além de funcionar com bastante pontualidade e conforto, você ainda pode ter, ao menos, quatro opções de transporte: ônibus, bonde e metrô e trem. Quer ir de carro? Pode ir. Mas, não reclame a falta de estacionamento gratuito nas ruas comerciais. Não há. Se estiver disposto a pagar € 2,00 ou mais por hora, fique à vontade. Sai muito mais caro do que pagar pelo transporte, tenha certeza, além de evitar os engarrafamentos e reduzir a emissão de poluentes.

Separação do lixo:

Todas as cidades alemãs possuem coleta seletiva. Alguns apenas com os recipientes básicos: recicláveis e orgânicos. Outros têm todos os possíveis: papel, plástico, metal, madeira, orgânico, não-reciclável… O certo é separar de acordo. Caso contrário, o morador pode ser multado pelo mau uso e descarte do seu lixo.

Sacolas retornáveis:

Se for fazer compras, não esqueça a sua sacola retornável, seja ela de tecido, plástico mais resistente, ou mesmo a mochila escolar. Caso contrário, ou levará as compras na mão, ou terá que pagar por uma nova sacola retornável cerca de € 0,15. Nenhum supermercado possui mais sacolas plásticas para oferecer de graça aos clientes. Padarias, lanchonetes, delicatessens sim, por enquanto.

Retorno de garrafas:

Está caminhando, longe de casa e ficou com sede. O movimento natural é parar numa lanchonete e comprar uma garrafa de água. Até aí tudo bem. Mas, quanto você quer pagar pela garrafa? Sim, pela garrafa. Caso você compre a água e continue seu caminho, além de pagar a água que bebe, pagará por levar a garrafa. Digamos que a água de 500ml tenha custado € 0,50, pelo menos, € 0,15 representa o valor da garrafa. Contudo, se decidir beber a água na lanchonete e devolver a garrafa ao balcão, terá de volta os seus € 0,15. O mesmo acontece com os sucos, refrigerantes etc que compra no supermercado. Levando para casa, consumindo e devolvendo ao supermercado de origem, terá o “depósito” da garrafa revertido em vale-compras. Dessa forma, centraliza-se os pontos de coletas das garrafas para que sejam recicladas e não há desperdício de recipientes em demasia.

Licenciamento dos carros:

O valor do imposto pago pelo carro é diretamente proporcional ao consumo de combustível e emissão de poluentes do modelo escolhido. Quanto mais ele polui, mais imposto ele paga. Ainda, o dono do veículo precisa de um selo adesivado no parabrisa e fornecido por órgão competente que certifique que o carro emite um nível tolerável de poluentes e, por isso, ele é autorizado a andar em determinados pontos da cidade, como o centro. Caso ele não tenha o selo e esteja em local proibido, a multa é automática. Na dúvida, melhor ir de transporte público.

Esses e outros exemplos fazem com o que o consumidor pense antes de decidir realizar uma compra, seja de uma simples garrafa de água à troca do carro por um modelo mais novo. Desses questionamentos surgem comportamentos que tornam ações sustentáveis em ações cotidianas que só contribuem para a melhoria da vida das pessoas naquela região, refletindo também em outros ambientes. É um movimento cíclico e real.


Instituto Estadual de Florestas reassenta famílias mineiras

quarta-feira, 29 julho, 2009

Iniciativa alia preservação do meio ambiente e melhorias na qualidade de vida dos moradores que habitam o Parque do Itambé

Pela primeira vez no Brasil, Instituto Estadual de Florestas (IEF) de Minas Gerais esta colocando em prática o reassentamento de famílias que habitam no Parque Estadual do Pico do Itambé. A iniciativa tem como objetivo preservar a unidade e promover melhorias na qualidade de vida dos moradores, que viviam em condições precárias no seu interior. As propriedades rurais ocupavam todo o parque, composto de 6.520 hectares.

Charles Alessandro, gerente de regularização fundiária do Insituto, explica que o reassentamento é necessário em unidades de conservação de proteção integral, como o Parque do Itambé. Nesses casos, a lei 9.985/2000 determina que as famílias devam, no processo de regularização fundiária, ser reassentadas em melhores condições do que as que viviam anteriormente. Das 27 famílias abrigadas no local, nove optaram pelo reassentamento e 18 pela idenização.

Além de terras, que variam de 5 a 100 hectares, com casa, água, luz e fossa séptica, as famílias terão a assessoria de um técnico agrícola durante um ano. Já as indenizações serão efetuadas no valor de R$ 2,307 milhões. “No começo houve resistência, mas as famílias participaram do processo e escolheram a terra. Elas estão saindo de casas de pau-a-pique para casas de alvenaria, com luz e energia e estarão a apenas 15 minutos do município de Santo Antônio do Itambé, que antes ficava a 4 horas de caminhada de suas casas”, informa a gerente do Parque, Mariana Gontijo.

As melhores condições que o IEF busca dar as pessoas e a natureza já estão sendo notadas. José Maria Ribeiro, por exemplo, está saindo de uma propriedade com 125 hectares para uma de 10 hectares e muito feliz. “Achei bom, tem lugar para lavoura, para pasto, fico mais perto da família e não preciso ir para Diamantina e Curvelo achar um “bico” para me manter” diz o guarda-parque, que vivia em uma área que não podia ser explorada economicamente.

O Parque do Itambé foi criado pelo Decreto nº 39.398, de 21 de janeiro de 1998, possuindo originalmente uma área aproximada de 4.696 hectares, sendo alterada para mais de 6.520 hectares em 2006. Está localizado nos municípios de Santo Antônio do Itambé, Serro e Serra Azul de Minas. A unidade de conservação abriga nascentes e cabeceiras de rios das bacias do Jequitinhonha e Doce e o Pico do Itambé, um dos marcos referenciais do Estado com seus 2.002 metros de altitude. A vegetação predominante é de cerrado e campos rupestres de altitude, onde ocorrem espécies raras e endêmicas de orquídeas. Em relação à fauna, destacam-se a onça-parda e do lobo-guará, espécies ameaçadas de extinção.

O esforço de regularização fundiária e os investimentos na infraestrutura acontecem em paralelo a outras ações que permitirão a abertura do parque ao público em 2010. Dessa forma, o meio ambiente ganha destaque e o desenvolvimento sustentável consegue ser aplicado da maneira correta. Depois de visitas técnicas para a identificação de trilhas ecológicas haverá também um curso de condutores para a comunidade. A formação desses guias turísticos vai possibilitar geração de emprego e renda na região e aumentará a conscientização sobre a preservação ambiental.

Vale destacar que iniciativa não é isolada no estado. Minas Gerais foi considerada pelo Diagnóstico da Situação Financeira de Sistema de Unidades de Conservação, iniciativa da The Nature Conservantion (TNC) em parceria com a Conservação Internacional (CI), SOS Mata Atlântica e Fundo Brasileiro para Biodiversidade, como o estado com o maior índice de implantação, investimento e planejamento de unidades de conservação do Brasil.

Mais informações: http://www.ief.mg.gov.br