Um exemplo de Responsabilidade Social Individual

quinta-feira, 12 novembro, 2009

A responsabilidade social é o compromisso que se tem em agir com ética e transparência, respeitando os atores sociais e assumindo um compromisso com o desenvolvimento sustentável.

A responsabilidade social, porém, não é um ato que deve ser exigido apenas a empresas, governos e entidades do terceiro setor. Apesar de esses atores sociais terem uma grande participação no que acontece no mundo atualmente, são as pessoas que definem o rumo que as ações tomam no dia a dia.

Quando você decide não consumir mais sacolas plásticas, deixar o carro na garagem dois dias na semana, pesquisar melhor os candidatos das próximas eleições ou doar um pouco do seu tempo para atividades voluntárias, tanto você está exercendo a sua cidadania, como atuando de forma socialmente responsável. É a sua responsabilidade social individual, a que define quem você é e o mundo que você quer ter para si e para os outros.

Um bom exemplo de responsabilidade social que apresento hoje é o projeto realizado por Sandra Santos, dona do blog Mineirinha n’Alemanha. Lá ela escreve sobre a sua vida no país que escolheu como segunda morada, vivendo na Alemanha há mais de 15 anos.

Sem julgamentos e preconceitos, ela mostra como a vida em outro país funciona, dá dicas importantes para todos que desejam conhecer um pouco mais sobre política, economia, sociedade e cultura alemã, ajuda pessoas que desejam se tornar expatriados, e, acima de tudo, atua de forma a integrar Brasil e Alemanha promovendo encontros entre esses dois países, sendo na realização de um show de um cantor brasileiro em uma cidade na Alemanha, ou a divulgação de um evento alemão no Brasil.

Dando asas a esse trabalho de integração de estrangeiros e expatriados, a Mineirinha Sandra decidiu transformar o seu blog em livro, para fazer chegar a mais mãos a informação que ela disponibilizou em mais de seis anos na Internet. Mais informações sobre o livro aqui.

Conheci a Mineirinha pesquisando por pessoas que morassem na Alemanha, simpatizei-me com a sua forma de se expressar e hoje somos “correspondentes”. Fui leitora de seu livro e sou leitora de seu blog. Posso dizer que há muito conhecimento e informação para serem absorvidos.  Ela começou a sua responsabilidade social individual atingindo milhares de brasileiros que vivem ou viverão essa experiência de morar em outro país, apoiando o seu processo de adaptação e integração.

E você, qual a sua responsabilidade social?

Anúncios

O custo do comportamento consciente

quinta-feira, 24 setembro, 2009

Em alguns lugares do mundo, inclusive na Europa, os cidadãos são compelidos a agir de forma consciente quando o assunto é sustentabilidade. Mas, de onde vem essa consciência? Como entidades governamentais, sociais e empresariais estimulam que a sociedade aja em prol da sustentabilidade?

Essa educação vem, principalmente, de uma palavra: custo. Uma perda financeira serve para alertar o cidadão que ele não está agindo de forma consciente e deve repensar seus hábitos. Do custo, surge a reflexão, a pesquisa, a informação. Assim, criam-se consumidores que conhecem as origens, formas de produção, uso e descarte do bem que deseja adquirir.

Abaixo, alguns exemplos de ações adotadas por países como a Alemanha.

A educação para a ordem:

Os carrinhos de supermercado largados no meio do estacionamento atrapalhando manobras e pedestres são um pesadelo distante na Alemanha. Para usar um carrinho, deposita-se € 1,00 num dispositivo e o carrinho está livre para utilização. Para ter o dinheiro de volta, é preciso devolver o carrinho para o mesmo lugar.

Redução da poluição nos centros das cidades:

Precisa ir ao centro? Vá de transporte público. Além de funcionar com bastante pontualidade e conforto, você ainda pode ter, ao menos, quatro opções de transporte: ônibus, bonde e metrô e trem. Quer ir de carro? Pode ir. Mas, não reclame a falta de estacionamento gratuito nas ruas comerciais. Não há. Se estiver disposto a pagar € 2,00 ou mais por hora, fique à vontade. Sai muito mais caro do que pagar pelo transporte, tenha certeza, além de evitar os engarrafamentos e reduzir a emissão de poluentes.

Separação do lixo:

Todas as cidades alemãs possuem coleta seletiva. Alguns apenas com os recipientes básicos: recicláveis e orgânicos. Outros têm todos os possíveis: papel, plástico, metal, madeira, orgânico, não-reciclável… O certo é separar de acordo. Caso contrário, o morador pode ser multado pelo mau uso e descarte do seu lixo.

Sacolas retornáveis:

Se for fazer compras, não esqueça a sua sacola retornável, seja ela de tecido, plástico mais resistente, ou mesmo a mochila escolar. Caso contrário, ou levará as compras na mão, ou terá que pagar por uma nova sacola retornável cerca de € 0,15. Nenhum supermercado possui mais sacolas plásticas para oferecer de graça aos clientes. Padarias, lanchonetes, delicatessens sim, por enquanto.

Retorno de garrafas:

Está caminhando, longe de casa e ficou com sede. O movimento natural é parar numa lanchonete e comprar uma garrafa de água. Até aí tudo bem. Mas, quanto você quer pagar pela garrafa? Sim, pela garrafa. Caso você compre a água e continue seu caminho, além de pagar a água que bebe, pagará por levar a garrafa. Digamos que a água de 500ml tenha custado € 0,50, pelo menos, € 0,15 representa o valor da garrafa. Contudo, se decidir beber a água na lanchonete e devolver a garrafa ao balcão, terá de volta os seus € 0,15. O mesmo acontece com os sucos, refrigerantes etc que compra no supermercado. Levando para casa, consumindo e devolvendo ao supermercado de origem, terá o “depósito” da garrafa revertido em vale-compras. Dessa forma, centraliza-se os pontos de coletas das garrafas para que sejam recicladas e não há desperdício de recipientes em demasia.

Licenciamento dos carros:

O valor do imposto pago pelo carro é diretamente proporcional ao consumo de combustível e emissão de poluentes do modelo escolhido. Quanto mais ele polui, mais imposto ele paga. Ainda, o dono do veículo precisa de um selo adesivado no parabrisa e fornecido por órgão competente que certifique que o carro emite um nível tolerável de poluentes e, por isso, ele é autorizado a andar em determinados pontos da cidade, como o centro. Caso ele não tenha o selo e esteja em local proibido, a multa é automática. Na dúvida, melhor ir de transporte público.

Esses e outros exemplos fazem com o que o consumidor pense antes de decidir realizar uma compra, seja de uma simples garrafa de água à troca do carro por um modelo mais novo. Desses questionamentos surgem comportamentos que tornam ações sustentáveis em ações cotidianas que só contribuem para a melhoria da vida das pessoas naquela região, refletindo também em outros ambientes. É um movimento cíclico e real.


Ação social das empresas do Nordeste

quinta-feira, 11 setembro, 2008

Um rápido panorama da Responsabilidade Social no país, com ênfase no Nordeste.

Segundo dados da segunda edição da pesquisa Ação Social das Empresas (2006) realizada pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), sabe-se que 74% das empresas nordestinas fazem algum tipo de ação social. Ficando o estado da Bahia na frente, com 76% de participação. De 1999 para 2003, a atuação do Nordeste em projetos sociais cresceu de 55% para 74%, um aumento considerável em comparação com o estado de São Paulo que cresceu apenas 6% (de 67% para 71%) no mesmo período.

A maioria absoluta das grandes empresas (94%) realizou alguma ação social para a comunidade. Contudo, as microempresas têm uma participação expressiva, já que foi verificado que 71% delas contribuíram de alguma forma. Como as microempresas representam metade das empresas da região, elas influenciam fortemente a média de participação das empresas em ações sociais no Nordeste. Dentre os setores, o que mais se destacou foi o comércio com 56% de participação.

Apesar das empresas terem ampliado sua atuação no setor social, o aumento no aporte de recursos não foi proporcionalmente igual. Em 2003, as empresas nordestinas destinaram cerca de R$ 505 milhões para projetos em comunidades carentes, valor equivalente a 0,24% do PIB da região no mesmo ano.

Em informação adicional à pesquisa do IPEA, as empresas que realizaram atividades sociais em benefício de seus empregados representam um percentual menor que a participação total, 69%. E 57% das empresas que realizaram essas ações fizeram tanto para beneficiar a comunidade quanto para beneficiar seus funcionários.

A pesquisa confirma a liderança do estado de Minas Gerais com 81% de participação das empresas pesquisadas contra 76% das empresas da Bahia, seguidas dos demais estados do Nordeste.

No Nordeste não há diferenças relevantes entre a participação dos estados, uma vez que a variação ficou entre 76% da Bahia e 73% na média dos estados de Alagoas, Maranhão, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

Entretanto, muitos desses investimentos se restringem ao assistencialismo e projetos pontuais, como campanhas de doações de alimentos, agasalhos, oferta de trabalho voluntário etc. Projetos que não impactam muito na realidade social das comunidades. O importante, nesse caso, é fazer com que o Nordeste veja na sua atuação social uma ponte para a Responsabilidade Social Empresarial, uma forma de gestão que auxilia na boa relação das empresas com seus parceiros, fornecedores, clientes internos e externos, além da comunidade, proporcionando o desenvolvimento sustentável em várias esferas.

Agora, o trabalho está em divulgar e ampliar a Responsabilidade Social Empresarial. Vamos?


Internet brasileira ganha site inédito de busca por pontos de coleta seletiva e reciclagem

quinta-feira, 10 abril, 2008

Ferramenta online Rota da Reciclagem (www.rotadareciclagem.com.br), criada pela Tetra Pak com suporte do Google Maps, aponta cooperativas, pontos de entrega voluntária e comércios ligados à cadeia de reciclagem em todo o Brasil

São Paulo, março de 2008 Em uma iniciativa inédita para a Internet brasileira, a Tetra Pak disponibiliza o primeiro buscador específico de pontos de coleta seletiva e reciclagem de embalagens longa vida (caixas de leite, sucos, molhos de tomate e outros alimentos). O novo buscador, denominado Rota da Reciclagem, conta com a tecnologia do Google Maps para apontar a localização e o contato de cooperativas, pontos de entrega voluntária de materiais recicláveis e comércios ligados à cadeia de reciclagem de embalagens da Tetra Pak pós-consumo em todo o território nacional.

Mais informações AQUI