Ação social das empresas do Nordeste

Um rápido panorama da Responsabilidade Social no país, com ênfase no Nordeste.

Segundo dados da segunda edição da pesquisa Ação Social das Empresas (2006) realizada pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), sabe-se que 74% das empresas nordestinas fazem algum tipo de ação social. Ficando o estado da Bahia na frente, com 76% de participação. De 1999 para 2003, a atuação do Nordeste em projetos sociais cresceu de 55% para 74%, um aumento considerável em comparação com o estado de São Paulo que cresceu apenas 6% (de 67% para 71%) no mesmo período.

A maioria absoluta das grandes empresas (94%) realizou alguma ação social para a comunidade. Contudo, as microempresas têm uma participação expressiva, já que foi verificado que 71% delas contribuíram de alguma forma. Como as microempresas representam metade das empresas da região, elas influenciam fortemente a média de participação das empresas em ações sociais no Nordeste. Dentre os setores, o que mais se destacou foi o comércio com 56% de participação.

Apesar das empresas terem ampliado sua atuação no setor social, o aumento no aporte de recursos não foi proporcionalmente igual. Em 2003, as empresas nordestinas destinaram cerca de R$ 505 milhões para projetos em comunidades carentes, valor equivalente a 0,24% do PIB da região no mesmo ano.

Em informação adicional à pesquisa do IPEA, as empresas que realizaram atividades sociais em benefício de seus empregados representam um percentual menor que a participação total, 69%. E 57% das empresas que realizaram essas ações fizeram tanto para beneficiar a comunidade quanto para beneficiar seus funcionários.

A pesquisa confirma a liderança do estado de Minas Gerais com 81% de participação das empresas pesquisadas contra 76% das empresas da Bahia, seguidas dos demais estados do Nordeste.

No Nordeste não há diferenças relevantes entre a participação dos estados, uma vez que a variação ficou entre 76% da Bahia e 73% na média dos estados de Alagoas, Maranhão, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

Entretanto, muitos desses investimentos se restringem ao assistencialismo e projetos pontuais, como campanhas de doações de alimentos, agasalhos, oferta de trabalho voluntário etc. Projetos que não impactam muito na realidade social das comunidades. O importante, nesse caso, é fazer com que o Nordeste veja na sua atuação social uma ponte para a Responsabilidade Social Empresarial, uma forma de gestão que auxilia na boa relação das empresas com seus parceiros, fornecedores, clientes internos e externos, além da comunidade, proporcionando o desenvolvimento sustentável em várias esferas.

Agora, o trabalho está em divulgar e ampliar a Responsabilidade Social Empresarial. Vamos?

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: