Encerramento das atividades

terça-feira, 13 agosto, 2013

Desde outubro de 2012, as cartilhas não estão mais sendo distribuídas. Por, principalmente, dois motivos: foram produzidas em 2009 e estão sem revisão; e, por falta de tempo e excesso de contratempos, não consigui mais atender à demanda.

Meus serviços de consultoria não são oferecidos também desde que me mudei para a Alemanha em 2010. No blog, na área “Consultores Associados”, encontrarão pessoas capazes de prestar esses serviços.

Para aqueles que desejam a Cartilha 01 – Como montar uma ONG, sugiro o download no seguinte link: http://www.institutoidesa.org.br/download/idesa_20091027_185655.pdf (Único link autorizado)

As demais, por não terem sido distribuídas gratuitamente, não estão disponíveis para download.

O blog e seus textos continuam públicos, porque continuam ajudando e orientando pessoas. Esse é o objetivo.

Agradeço a compreensão de todos.


Distribuição das cartilhas

quinta-feira, 29 setembro, 2011

Prezados leitores,

Desde novembro de 2009 distribuo gratuitamente uma cartilha que auxilia pessoas e grupos que queiram se regularizar e aumentar as chances de atuação no terceiro setor, essa é a Cartilha 01, Como montar uma ONG.

As Cartilhas 02, Desenvolvimento Institucional, e a cartilha 03, Elaboração de Projetos Sociais, tem valor de R$ 39 e R$ 43, respectivamente, com desconto na aquisição das duas ao mesmo tempo.

Em janeiro de 2010, mudei-me para a Alemanha, mas não interrompi a distribuição das cartilhas. Já distribuí mais de 2 mil exemplares da cartilha 01, Como montar uma ONG, e continuo fazendo com satisfação.

As Cartilhas 02 e 03, apesar de terem valor, não me dão lucro algum. Meu trabalho é mais voluntário do que baseado em interesses comerciais, uma vez que não estou mais trabalhando na área e nem estou mais no Brasil.

Porque essas cartilhas tem um custo, apesar de serem arquivos digitais (pdf)?

1. Não recebi patrocínio para escrevê-las.
2. Também não é apoiado por nenhuma editora.
3. Distribuo muito mais a cartilha 01 do que as cartilhas 02 e 03. Essas não chegam nem a 10% do número da cartilha 01.
4. Conhecimento vale mais que papel. O fato de serem arquivos eletrônicos também facilita que sejam enviadas por email, me tirando o custo e o trabalho de enviá-las pelo correio. Eu não tenho apoio de terceiros para essa distribuição.
5. O conteúdo é referente a alguns anos de trabalho e experiência, preciso valorizar o meu trabalho.
6. Elas não foram escritas de uma dia para a noite. Custaram alguns meses de pesquisa, montagem, correção e dedicação.

Gostaria que os interessados no material, adquirissem-no pela contribuição social que ele tem e pela valorização do trabalho de alguém que decidiu dividir o conhecimento com outras pessoas.

Por estar também na Alemanha, estou recomeçando uma vida e me dedicando a outras atividades (como me tornar fluente em alemão), mas, mesmo assim e apesar de alguns atrasos em responder emails, mantenho essa atividade.

Então, peço desculpas se o seu email ainda não foi respondido. Ele irá.

Também peço desculpas se esse texto pareceu ofensivo. O número de emails que recebo me parabenizando pelo trabalho é superior àqueles que o questionam. Mas, ainda assim, sinto-me incomodada quando acontece.

Além disso, acho que devo satisfações à pessoas que aguardam ansiosas pelas cartilhas.

Agradeço a compreensão e paciência de todos.

Evelyne Leandro


Comentários encerrados

segunda-feira, 25 outubro, 2010

Por conta da minha mudança para a Alemanha, não consigo mais administrar como deveria este blog. Por isso e para não gerar uma expectativa de demanda que não posso atender, estou encerrando os comentários do blog.

Os textos continuarão à disposição de todos, as dicas dadas em comentários que outrora foram respondidos e o e-mail de contato para a solicitação das cartilhas também.

Essa decisão foi tomada depois de muita reflexão e avaliação. O blog conta com mais de 700 visitas diárias, acessando os textos mais diversos aqui publicados sobre Terceiro Setor e Responsabilidade Social. Orgulho-me do material que produzi aqui e ver esse retorno me satisfaz tanto quanto profissional, quanto pessoa que gostaria de fazer alguma diferença na sociedade. Obrigada.

A decisão é definitiva para os comentários, porém poderei retornar com algumas textos esporádicos e algumas notícias que ache pertinentes para o público do blog.

As cartilhas continuarão sendo distribuídas. Contudo, única e exclusivamente pelo e-mail cartilhas.evelyneleandro@gmail.com. Esse e-mail é acessado uma vez por semana. Se por acaso o seu e-mail ainda não foi respondido, aguarde, pois irá.

Agradeço a compreensão de todos.

Evelyne Leandro


Ditadura x Terrorismo

quarta-feira, 22 setembro, 2010

Desde que a campanha eleitoral começou, percebo um movimento social sendo deturpado.

Aqui, cabe um parêntese: estou na Alemanha, não estou assistindo horário eleitoral e não poderei votar nessa eleição, pois não pude fazer a trasnferência do título no prazo estipulado. Não estou defendendo nenhum candidato, apenas faço algumas observações em relação a como a históira está sendo usada em função desse momento nacional.

Em 64, com o golpe militar, foi instaurada a ditadura. Recentemente, tentaram, inclusive, mudar o termo para “ditabranda”, ainda bem que não conseguiram. Posso dizer, sem muita certeza, que até o movimento do “Diretas já”, entre 83 e 84, e a aprovação da nova Constituição em 88, a ditadura estava presente no país.

Nesse período, poucos foram as pessoas que tiveram coragem e capacidade de enfrentar os militares. Na época, foram entitulados “guerrilheiros”. Muitos foram presos, mortos ou exilados. Dependia muito do “crime” ou da influência que tinham.

O que importa é que foram os únicos que se rebelaram contra uma ditadura. (O resto do povo ou não tinha consciência real do que acontecia, ou não tinha coragem de levantar a voz, ou, simplesmente, era condizente com o processo de “prisão” pelo qual o país passava.) Foram os únicos que lutaram por uma democracia, por uma país de ideias livres. Eles lutaram com as armas que tinham. Afinal, como lutar contra um exército inteiro? Seja escrevendo críticas em jornais, músicas para festivais, realizando passeatas e comícios, cometendo “crimes” etc. Era desse jeito que se podia protestar, radical ou não.

Mas as pessoas esquecem – ou nunca aprenderam, que a ditadura também cometeu muitos crimes contra a sociedade: tirando sua liberdade de expressão, prendendo inocentes, torturando, sequestrando e matando gente…

E hoje, estou assitindo a história mudar. Os únicos brasileiros corajosos, pensadores e intelectuais, que tiveram coragem de lutar por um país, estão sendo rotulados de criminosos, terroristas. Porque é conveniente não tratar a história. Porque é conveniente fazer com que uma nação não saiba reconhecer heróis e, por isso, transferem a sua energia para ídolos mau construídos do futebol e da música.

Uma nação sem consciência crítica que transforma pessoas, que ora foram “rebeldes com causa”, inconformados, questionadores, em terroristas. Que escutam uma “verdade” através da mídia que um dia foi financiada pela ditadura e tomam-na como verdade absoluta, tornando-a parte do consciente coletivo brasileiro.

Não me interessa se Dilma, Lula, FHC, Cristovão Buarque, Gabeira, Gilberto Gil, Geraldo Vandré, José ou Luís. Preso ou exilado, torturado, morto ou desaparecido. O que importa é que, para a história que eles gostariam de ter escrito, eles não são terroristas.

São mais brasileiros do que eu.

“É uma pena que sejam os vencedores a escrever a história.”


Oi Novos Brasis 2010

quinta-feira, 24 junho, 2010

Uma nova etapa e um desafio ainda maior, do tamanho deste país: contribuir para transformar a realidade de milhares de pessoas em centenas de comunidades. Da grande cidade ao pequeno município da última fronteira. Seu projeto pode fazer toda a diferença, inédito ou em novo estágio, buscamos ideias criativas, com a marca da singularidade e a intenção solidária e cidadã.

Oi Novos Brasis 2010.

Inscreva seu projeto ainda hoje. Juntos, vamos demarcar novas fronteiras, no espaço de cidadania. Inscrições até 26 de julho.

Os projetos deverão ser inscritos exclusivamente pelo site http://www.oifuturo.org.br/oinovosbrasis2010.

Para qualquer outro esclarecimento, entre em contato conosco através do e-mail: projetonovosbrasis@oi.com.br Interaja com o Oi Novos Brasis em nossas redes:

Orkut – http://bit.ly/brasisorkut

Twitter – http://bitly/brasistwitter

Facebook- http://bit.ly/brasisfacebook

Youtube – http://bit.ly/brasisyoutube

Um abraço, Oi Novos Brasis.


Atenção!

quinta-feira, 13 maio, 2010

Existem dois depósitos não identificados em minha conta, referentes à aquisição das Cartilhas. Para que eu possa enviar as cartilhas para os pagadores, necessito confirmação do pagamento por parte do remetente.

Por favor, quem realizou os seguintes depósitos:

Dia 28/04, no valor de R$ 44,00 (adquirindo a Cartilha 03) e

Dia 06/05, no valor de R$ 75,00 (adquirindo as Cartilhas 02 e 03),

Solicito que entre em contato comigo, identificando-se, por e-mail para que eu possa enviar os arquivos e cumprir o combinado.

Agradeço a atenção.

Evelyne Leandro


Comunicado

quarta-feira, 27 janeiro, 2010

Caros leitores,

Desde o dia 20 deste mês, estou vivendo em outro país, a Alemanha. Em função dos preparativos para esta mudança e outras providências, desde novembro do ano passado, infelizmente, muitos comentários neste blog ficaram sem resposta. Trabalho que faço voluntariamente, com a intenção de apoiar e ajudar iniciativas no terceiro setor. Peço desculpas por isso.

Como toda mudança pede adequação e dedicação de quem a realiza, solicito a compreensão de todos os meus leitores, parceiros e amigos, pois este blog ficará um tempo sem atualização.

A distribuição das Cartilhas permanecerá. Os contatos devem ser feitos pelo e-mail cartilhas.evelyneleandro@gmail.com. A Cartilha 04 deve estar disponível até o final de fevereiro.

O blog não está sendo encerrado. As atualizações devem ser regularizadas no próximo bimestre. Momento em que os comentários voltarão a ter as minhas respostas.

Aproveitarei a experiência na Alemanha,  país com muitas iniciativas sustentáveis, para trazer novidades e inovações no setor.

Também por causa da mudança, a prestação de serviços de assessoria ao terceiro setor, revisão e elaboração de projetos sociais está suspensa.

Agradeço antecipadamente,

Evelyne Leandro